Combate à violência: Coren-SP realiza sessão solene de Desagravo Público na capital

0

O Coren-SP realizou na última quinta-feira (13/12), uma sessão solene de Desagravo Público, em defesa de profissionais de enfermagem que sofreram qualquer tipo de abuso ou violência durante o exercício da profissão.
O segundo secretário Paulo Cobellis conduziu a sessão e ressaltou que o objetivo é acolher o profissional e oferecer apoio às vítimas de agressão, por meio de um suporte legal, ético e, também, pela lei do exercício profissional. “Durante a prática dos profissionais de enfermagem, à medida que ocorrer qualquer tipo de ofensa, que seja provada e apresentada ao Coren-SP, será determinado com Desagravo Público”.
Cada profissional que solicita o Desagravo Público é representado por um conselheiro durante a cerimônia. A conselheira Dorly Fernanda Gonçalves representou a profissional Maria Zenaide Mendes Bezerra, o conselheiro Anderson Francisco de Meira da Silva, representou a profissional Deise Gonçalves Galtaroça e a conselheira Érica Chagas Araújo, representou o profissional Marcelo Evangelista de Lima.
A profissional Maria Zenaide sofreu agressões verbal e ameaças de agressão física durante atuação profissional e diz que o apoio di Conselho foi muito importante. “Foi uma situação horrível, é algo que marca e nos deixa receosos de trabalhar. Agradeço aos amigos que me ajudaram e, principalmente, sou grata ao Coren-SP pela oportunidade de ouvir e nos acolher. É bom saber que podemos contar com o apoio de todos do conselho”, conta Maria Zenaide.
A profissional Deise Gonçalves sofreu agressão verbal de um paciente na instituição em que trabalha e, também, agradece o apoio do Coren-SP. “Me senti humilhada diante daquela situação. Muitas vezes nos sentimos desprotegidos o acolhimento do Conselho foi essencial para que eu desse continuidade e não desistisse de levar tudo isso adiante”
A conselheira Érica Chagas reforça que o Coren-SP repudia veemente qualquer tipo de agressão contra os profissionais de enfermagem. “Atitudes dessa natureza são repudiadas pelo nosso Conselho, elas desrespeitam nossos direitos de exercer a profissão e atacam a prática da saúde. Nós estamos aqui para tomas as providências legais para coibir o desrespeito aos direitos dos profissionais”, diz Érica.
Paulo Cobellis encerrou a sessão afirmando o quão importante é para o profissional denunciar os casos de violência. “É de extrema importância que os profissionais façam as devidas solicitações, para que nós, do Conselho, possamos auxiliar de maneira correta e eficaz. É importante dizer o que e como aconteceu para darmos início ao processo, e fazer com que a categoria tenha consciência e a garantia do seus direitos” finaliza.
Como solicitar Desagravo Público?
A solicitação deve seguir o disposto na Resolução Cofen 433/2012, a saber:
Encaminhar à Presidência do Coren-SP (pessoalmente ou por Correios) uma carta detalhando os fatos, indicando seu nome completo, endereço, telefones de contato, categoria profissional e assinatura;
Narrar objetivamente o fato ou ato que está denunciando, com indicação de local, dia, hora, circunstâncias e autor dos fatos;
Indicar testemunhas;
Se houver, incluir documentação que complemente ou comprove os fatos;
A solicitação de desagravo não pode ser anônima, uma vez que a intenção é fazer uma manifestação pública a favor do profissional ofendido;
O desagravo público não se aplica quando o ofensor e ofendido forem profissionais da enfermagem, caso em que o Conselho Regional avaliará a necessidade de instauração de procedimento ético, a partir de denúncia.

Fonte: Comunicação / Coren-SP

Share.

About Author

Leave A Reply

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Clique nas capas abaixo para acessar o conteúdo digital das edições: