Novo método de impressão 3D de próteses faciais promete mais agilidade e menor custo

0

Uma nova metodologia de impressão 3D de próteses faciais está sendo divulgada com a promessa de ser uma opção acessível para pacientes com poucos recursos. De acordo com a Stratasys, empresa global da área de soluções de tecnologia aditiva aplicada para as indústrias, a tecnologia +ID “Mais Identidade” possibilita “a produção rápida e econômica de próteses faciais extremamente detalhadas”. Esse modelo está presente nas impressoras da linha PolyJet da marca, com um fluxo de trabalho digital e de baixo custo, trazendo benefícios a pacientes que tenham sofrido mutilações faciais por traumas, câncer ou doenças congênitas. 

A +ID “Mais Identidade” foi desenvolvida e patenteada pelo especialista em reabilitação maxilofacial brasileiro Rodrigo Salazar, como parte de suas pesquisas de Mestrado e Doutorado na Universidade Paulista (UNIP). O trabalho teve a orientação do Dr. Luciano Dib e a colaboração de profissionais da Universidade de Illinois, de Chicago (EUA), e do Centro de Tecnologia da Informação Renato Archer, informa a matéria divulgada pela assessoria de imprensa da Stratasys. Os equipamentos PolyJet, que fornecem resolução de camadas microscópicas e precisão de até 0,1 mm e de 14 micrômeros no eixo Z de impressão, foram escolhidos pelo projeto. A companhia destaca que a máquina reproduz até detalhes mínimos da pele, como os poros, nos moldes 3D dos rostos dos pacientes. 

Para a confecção das próteses, um projeto digital reproduz a anatomia do paciente, o modelo é impresso em 3D e o item obtido é polido manualmente. Segundo a fabricante, este processo é mais rápido e mais barato do que os exigidos pelos métodos tradicionais. Brasil, Chile, Peru, Uruguai, Colômbia, Estados Unidos e Índia já implantaram a metodologia. Até agora, 40 pacientes receberam uma prótese facial +ID “Mais Identidade” e, segundo divulgado pela Stratasys, “melhoraram exponencialmente sua qualidade de vida”.       

“Integrar a tecnologia PolyJet da Stratasys à metodologia +ID ‘Mais Identidade’ tem permitido que os profissionais otimizem a qualidade dos dispositivos protéticos com um investimento financeiro significativamente menor e com muito menos tempo de internação necessário para o paciente”, afirma Dr. Rodrigo Salazar na matéria. O médico também revela que, para o futuro próximo, o objetivo é melhorar os sistemas já existentes, reduzir a curva de aprendizado para novos profissionais e estimular, mundialmente, a criação de programas de reabilitação maxilofacial e anaplastologia nos sistemas públicos de saúde.

FONTE: Stratasys. Foto: prótese facial impressa em 3D pela metodologia +ID “Mais Identidade” (fonte: Stratasys, por meio da assessoria de imprensa). 

Share.

About Author

Leave A Reply

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Clique nas capas abaixo para acessar o conteúdo digital das edições: