Maternidade Pro Matre Paulista promove debate sobre prematuridade

0

Evento contou com depoimentos da influenciadora digital Adriana Sant’Anna, de mães e especialistas da instituição

A Pro Matre Paulista, uma das maternidades mais conceituadas de São Paulo, promoveu na última quarta-feira, 29 de novembro, um encontro entre profissionais da área da saúde, mães e da influenciadora digital Adriana Sant’Anna. Com o tema “Entendendo a Prematuridade”, a mesa redonda teve como objetivo discutir é um assunto tão importante nos dias atuais, afinal, nascem mais de 340 mil bebês prematuros anualmente apenas no Brasil

O evento contou com a participação da neonatologista e chefe da UTI Neonatal da Pro Matre Paulista, doutora Edineia Lima; Mariana Bonsaver, psicóloga da instituição e as mães Tatiane Leonel e Sheyla Vale, que tiveram seus bebês prematuros na Pro Matre. Os palestrantes também responderam perguntas do público sobre o tema.

O debate teve início com a doutora Edineia, que falou sobre a importância do pré-natal e os cuidados com o prematuro. “A preocupação com a prematuridade é global e todas as áreas médicas trabalham em conjunto para garantir o bem estar da mãe e do bebê. Acima dos avanços tecnológicos, pesquisas e estudos, também é preciso oferecer acolhimento e humanização nas maternidades, por meio de assistência e acompanhamento da gestante”, conta.

A psicóloga Mariana Belém falou sobre a importância da troca de experiências entre mães depois de passar pelo nascimento de um prematuro. “Quando um bebê nasce desta forma, os pais sofrem muito, já que coisas novas acontecem, há mudanças na rotina e perdas irreparáveis. Ter um bebê na UTI Neonatal é lidar com uma diversidade de sentimentos: felicidade por ver o bebê, medo, ansiedade, entre outras sensações. Acredito que as histórias contadas aqui exemplificam estas questões de força e superação”, ressalta.

Já a influenciadora Adriana Sant’Anna contou sobre as mudanças da rotina com a gestação. “Na primeira gravidez, eu era bem preocupada e cuidadosa em relação as visitas, por exemplo, e queria estar o tempo todo com meu filho. Com essa segunda gestação, ficarei atenta a estes pontos e quero continuar sendo dedicada ao meu primeiro filho, para que ele não tenha ciúmes e saiba que será amado da mesma forma. A ideia é lidar com isso e ser carinhosa com ambos”, afirma.

A Tatiane Leonel é mãe de dois prematuros, do Pedro e do Rafael, de quatro e 11 meses, respectivamente, e relatou sua experiência. “Meu primeiro filho nasceu com 630 gramas, ficou seis meses na UTI e chegou a pesar 575 gramas. Ele sofreu muito, teve dois meses de homecare, mas atualmente é uma criança saudável. Já o Rafael nasceu com 26 semanas e 575 gramas, mas não tem nenhuma sequela. No total, passei nove meses na UTI acompanhando a recuperação dos dois, tive muitas alegrias, inseguranças e medos, porém, nunca perdi a fé”, conta.

Outra mãe com história de superação é a Sheyla Melo, mãe do Felipe que chegou a pesar 380 gramas e era o menor bebê da UTI da Pro Matre na época. “Com esse relato, quero dizer a outras mães que tudo é possível. Um bebê de 22 semanas conseguiu viver, se desenvolver e agora está firme e forte. É um testemunho para mostrar que a fé move montanhas”, finaliza.

Share.

About Author

Leave A Reply

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Clique nas capas abaixo para acessar o conteúdo digital das edições: