Evento de 30 horas debate e desafia mulheres brasileiras a criarem soluções para a saúde

0

São Paulo, 21 de março de 2018 – Acontecerá no próximo final de semana, nos dias 24 e 25 de março, a segunda edição do Women´s Health Tech Weekend, evento que inclui uma maratona de desenvolvimento de soluções tecnológicas, atividades e palestras com foco na saúde da mulher.

Nesta edição, dezesseis palestrantes compartilharão experiências em um ambiente de acolhimento, troca e sororidade. Serão 30 horas de conteúdo exclusivo, incluindo atividades como yoga, sessão de cinema, com a exibição do documentário Mundo dos Raros e o hackaton, maratona colaborativa de programação, voltado para o desenvolvimento de novas soluções.

Os temas foram divididos em trilhas como: mulheres e resistência, potencial de inovação no mercado, somos múltiplas: desafios da inclusão, saúde da mulher, tecnologia e o futuro da saúde e serão pautados por palestrantes como a Dra. Maria Gabriela Prado Manssur, promotora de justiça, Dra. Bárbara Murayama, coordenadora Médica de Ginecologia do Hospital 9 de Julho e Valéria Baraccat Gyy, do Instituto A Viver Bem, entre outras.

No hackathon especialistas em negócios, designers e programadores se reunirão para criar novas soluções com foco na saúde da mulher. Mentores apoiarão o andamento dos projetos e, os melhores, serão premiados durante o evento. O objetivo é criar soluções tecnológicas desenvolvidas por elas e para elas e que compreendam a mulher em todo seu contexto, da infância até a terceira idade.

Idealizado por Andréa Soares e Carine Roos, o evento busca sensibilizar a comunidade sobre os problemas da saúde da mulher e fomentar as inovações de base tecnológica, expandir o interesse de empreendedoras para a área da saúde e destacar o enfoque de gênero como catalisador da inovação no ramo da saúde.

“É de extrema importância considerarmos os diferentes perfis de mulheres e suas necessidades para a evolução da saúde da mulher, o que possibilita inovações no campo da medicina”, afirma Carine Roos, idealizadora do evento e também fundadora da UpWit, Consultoria em Inteligência e Equidade de Gênero e Inovação.

“Precisamos de novos olhares para problemas de saúde que são negligenciados ou pouco estudados, como é o caso de doenças raras. Acredito que a tecnologia é o canal para essa transformação”, completa Andréa Soares, também idealizadora do evento e fundadora da startup Crossing Connection Health, voltada à melhoria de vida de pessoas com doenças raras.

Sem fins lucrativos, no ano passado, aproximadamente 300 pessoas, sendo 80% mulheres, estiveram presentes no evento que, este ano, contará com a colaboração de empresas como Red Hat, Takeda Farmacêutica, Revista Saúde, Crossing Connection Health, UpWit e Merkaz.

Share.

About Author

Leave A Reply

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Clique nas capas abaixo para acessar o conteúdo digital das edições: