É Possível a Depressão Influenciar na Sua Saúde Bucal?

0

Sorrir pode ser um verdadeiro desafio quando se está enfrentando uma depressão.
A doença, como já se sabe, afeta de diferentes formas o corpo físico, incluindo a saúde da boca.

Recentemente a influenciadora Camila Monteiro contou em suas redes sociais como a depressão influenciou em sua negligência com a higienização bucal, medo de dentista e outros fatores que a levaram a perder alguns de seus principais dentes.


“A questão da saúde bucal foi algo que refletiu na forma que eu me via. Eu não me via com valor, não me via como uma pessoa que deveria ser apreciada, amada” conta Camila.
O estudo “The association between poor dental health and depression: findings from a large-scale, population-based study”, realizado por Adrienne O’Neil e Michael Berk, respetivamente das universidades de Deakin e Monash, na Austrália. De acordo com os pesquisadores, que analisaram os dados de mais de 10 mil doentes, a depressão está relacionada com fatores objetivos e subjetivos de uma má saúde bucal.
Segundo a cirurgiã dentista e especialista em saúde bucal Dra. Bruna Conde diante de picos de estresse e ansiedade, o corpo de muitas pessoas pode responder com o aparecimento de aftas e o hábito de ranger os dentes (bruxismo). Como há uma alta no cortisol, conhecido como “hormônio do estresse”, há consequentemente um enfraquecimento do sistema imunológico, que facilita o acesso de bactérias, surgimento de gengivite e periodontite.

Como os efeitos da depressão atingem a saúde bucal?

A depressão é uma doença psiquiátrica, em que os distúrbios frequentes de humor e a falta de ânimo podem acabar afetando fisicamente e inclusive a saúde bucal. Alguns dos seus sintomas mais característicos são:
• Baixa autoestima;
• Tristeza profunda;
• Perda de apetite e de energia;
• Insônia ou hipersônia;
• Sentimentos como desesperança, culpa e inutilidade;
• Pensamento em morte e tentativas de suicídio.

Outro fator se dá ao tratamento com antidepressivos, que podem gerar efeitos colaterais como a diminuição da saliva, podendo ocasionar infecções, cáries, fissuras, doença periodontal, alteração do hálito, entre outros danos.
“Caberá a um profissional especializado avaliar cada caso com cautela, oferecendo um atendimento bastante humanizado e individual, de acordo com a condição psicológica de cada paciente.” fala a Dra. Bruna.
Outra coisa a se pensar ao considerar a conexão entre a saúde mental e a bucal é que a depressão pode causar estresse, junto ao aumento da liberação de um hormônio conhecido como cortisol.
De acordo com a cirurgiã dentista uma das principais causas do bruxismo vem de problemas psicológicos, especialmente ansiedade e depressão. O apertamento e ranger dos dentes podem ocasionar diversas consequências ao paciente, como lesões orofaciais, desgaste excessivo dos dentes, distúrbios das articulações da mandíbula e dor muscular.
“Pacientes com quadro de ansiedade e depressão são os que mais sofrem com a disfunção da articulação temporomandibular (DTM), que causa dores frequentes de cabeça, estalos na mandíbula e até mesmo dificuldade para abrir e fechar a boca.” salienta a especialista Bruna Conde.
O bem-estar emocional tem impacto na sua saúde bucal, logo, problemas que se originam na boca podem estar associados a transtornos mentais, como a depressão. Portanto, se você está se sentindo deprimido ou com suspeita é aconselhável que seu dentista saiba disso para tomar alguns cuidados necessários.

Cuidar da sua saúde mental e da bucal pode ajudar a restaurar o equilíbrio e o bem-estar, por isso, é importante buscar manter corpo e mente sãos.

Por: RTA Comunicação / Foto Ilustrativa: Freepik

Share.

About Author

Leave A Reply

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Clique nas capas abaixo para acessar o conteúdo digital das edições: