4 curiosidades sobre cirurgia robótica no Brasil

0

Desde 2008, a cirurgia robótica no Brasil já é uma realidade e conta com robôs para auxiliar os médicos em seus procedimentos por todo país. Essas plataformas são capazes de realizar cirurgias minimamente invasivas, e com o auxílio delas, os procedimentos são mais eficazes, os cortes são mais precisos, as cicatrizes menores e as recuperações menos doloridas e mais rápidas.

Apesar de já estarem no Brasil há algum tempo, ainda há muitas informações que podem ser disseminadas sobre a atuação dessa tecnologia. Por isso, Dr. Thiers Soares, presidente da Sociedade Brasileira de Cirurgia Minimamente Invasiva e Robótica – Capítulo Rio de Janeiro – SOBRACIL RJ, listou 4 curiosidades sobre a cirurgia robótica no Brasil.

 

1 – Ginecologia e urologia são líderes do ranking de cirurgia robóticas

As cirurgias de ginecologia e urologia são, atualmente, as líderes do ranking de procedimentos realizados no país. “Hoje, as especialidades de urologia e ginecologia lideram o ranking de cirurgias mais realizadas com este tipo de procedimento no país. Em especial, “a prostatectomia [cirurgia de retirada total ou parcial da próstata]tem, realmente, um número bem alto de procedimentos. Outras especialidades que vêm crescendo muito são as bariátricas, e os tratamentos de hérnia”, comenta o especialista.

 

2 – Cirurgia à distância já é uma realidade

Realizar uma cirurgia com o paciente em um local e o médico em outro já é uma realidade com o uso dos robôs nos procedimentos cirúrgicos. As máquinas já permitem que esse procedimento seja feito, no entanto, há limitações por conta do acesso à tecnologia.

 

Procedimentos nessas circunstâncias já foram realizados, mas apenas em fase de teste e com custos altíssimos. O que ocorre é que ainda não há uma conexão que seja realmente segura para a operação ser realizada à distância. Algo que pode começar a mudar com a chegada da conexão 5G.

 

3 – Modelo de robô: Versius

O robô de origem britânica Versius é usado nos procedimentos de cirurgias minimamente invasivas o que, por consequência, resulta em uma recuperação mais rápida para o paciente. Ele é usado em procedimentos na área da ginecologia (endometriose, miomectomias e retirada de útero), além de poder ser usado em qualquer procedimento por via minimamente invasiva como: cirurgias gerais, bariátricas e urológicas.

A plataforma, que chegou este ano ao Brasil, é uma das alternativas para popularizar o acesso às cirurgias robóticas no país, principalmente por conta da independência dos seus braços, em que o cirurgião pode utilizar o que ele realmente achar necessário para o procedimento, tornando a cirurgia mais prática que o habitual.

 

4 – Modelo de robô: Da Vinci

O robô Da Vinci é uma plataforma muito disseminada no Brasil, já que a tecnologia foi criada nos anos 2000 e está presente no país desde 2008. No país, há atualmente 80 robôs para uso em procedimentos cirúrgicos.

 

A aparência dessa plataforma é semelhante a de um “polvo” com três braços para os instrumentos cirúrgicos e um quarto braço para visualizar os órgãos, além de possibilitar o cirurgião de ter uma visão 3D dos órgãos do paciente. Sendo assim, os robôs são o futuro da medicina permitindo que os procedimentos sejam mais precisos e rápidos, eles trazem benefícios para os atendimentos da área médica, o que proporciona agilidade para os pacientes.

Por: Oliver Press / Foto Ilustrativa: Freepik

Share.

About Author

Leave A Reply

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Clique nas capas abaixo para acessar o conteúdo digital das edições: