12 de Maio: Dia do Enfermeiro

0

Rosele Paschoalick

Maria Luiza de Medeiros Amaro

Em 12 de maio se comemora mundialmente o Dia da Enfermagem e o Dia do Enfermeiro, em homenagem a Florence Nightingale, que nasceu em 12 de maio de 1820, tornando-se marco da enfermagem moderna no mundo. No Brasil, temos como referência na história a enfermeira Ana Néri, notabilizando-se por ser a primeira enfermeira brasileira a se alistar voluntariamente em combates militares.

Covid-19, prevenção de vírus, saúde, profissionais de saúde e conceito de quarentena. médico, enfermeira com máscara médica e uniforme azul, olhando e apontando para o banner com informações sobre o coronavírus

O cuidado sempre esteve presente na história da humanidade, caracterizando a forma de viver e de se relacionar. Entende-se o cuidado como um atributo intrínseco do ser humano e se caracteriza como uma atitude na qual a pessoa se dedica ao outro com vigília e compaixão. Quando transferimos este conceito para a área da saúde, especialmente na enfermagem, o cuidado tem seu espaço singular, entendido como o foco da prática do enfermeiro.

Ao longo da história, desde Florence Nightingale, a enfermagem tem buscado construir um corpo de conhecimentos próprios para fundamentar seu exercício profissional. É uma ciência que procura atribuir significados aos fenômenos inerentes à profissão, tais como os processos de cuidar-assistir, os modelos assistenciais e gerenciais, e os modelos de cuidar da enfermagem.

Dessa forma, o profissional de enfermagem assume diversas faces nas áreas de atuação: prevenção, promoção, recuperação e reabilitação da saúde em serviços de baixa, média à alta complexidade, inseridos em equipes multidisciplinares.

A enfermagem corresponde a 50% dos profissionais de saúde do Brasil, evidenciando que a atuação dessa categoria profissional é fundamental para garantir tratamentos adequados e de qualidade, baseados no verdadeiro significado do cuidado humano.

Em tempos de pandemia, esses profissionais se mantiveram onde sempre estiveram, ou seja, na chamada “linha de frente” dos atendimentos de saúde, fato que, infelizmente, levou a números expressivos de perdas desses profissionais.

Na enfermagem brasileira atuam pouco mais 560 mil enfermeiros, número próximo a 1,3 milhão de técnicos de enfermagem e 500 mil auxiliares de enfermagem, o que alcança cerca de 2.500.000 de pessoas exercendo um papel decisivo na cadeia de saúde. Os profissionais de enfermagem têm grande relevância no cenário nacional e merecem respeito e reconhecimento.

Rosele Paschoalick e Maria Luiza de Medeiros Amaro são enfermeiras e professoras de Enfermagem da Faculdade de Medicina Evangélica Mackenzie (FEMPAR).

 

Sobre a Faculdade Presbiteriana Mackenzie
A Faculdade Presbiteriana Mackenzie é uma instituição de ensino confessional presbiteriana, filantrópica e de perfil comunitário, que se dedica às ciências divinas, humanas e de saúde. A instituição é comprometida com a formação de profissionais competentes e com a produção, disseminação e aplicação do conhecimento, inserida na sociedade para atender suas necessidades e anseios, e de acordo com princípios cristãos.

O Instituto Presbiteriano Mackenzie (IPM) é a entidade mantenedora e responsável pela gestão administrativa dos campi em três cidades do País: Brasília (DF), Curitiba (PR) e Rio de Janeiro (RJ). As Presbiterianas Mackenzie têm missão educadora, de cultura empreendedora e inovadora. Entre seus diferenciais estão os cursos de Medicina (Curitiba); Administração, Ciências Econômicas, Contábeis, Direito (Brasília e Rio); e Engenharia Civil (Brasília).

Por: Imprensa Mackenzie / Foto Ilustrativa: Freepik

Share.

About Author

Leave A Reply

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Clique nas capas abaixo para acessar o conteúdo digital das edições: